Gochen Tulku Sang Ngag Rinpoche

Gochen Tulku Sang Ngag RinpocheGochen Tulku Sang Ngag Rinpoche foi reconhecido por Khyentse Chökyi Lodro Rinpoche como a sexta reencarnação de Gyalwa Gyatso, uma das duas reencarnações de Drimed Lingpa. Ainda menino, Tulku Sang Ngag estudou com seu pai, Namchak Tashi, com quem aprendeu a tradição de liturgias e rituais religiosos da sua família, bem como medicina tibetana tradicional. Aprisionado pelos chineses comunistas durante a Revolução Cultural, passou dez anos preso na companhia de muitos grandes lamas, tulkus e eruditos, dos quais recebeu mais ensinamentos.

Ao ser libertado, foi para a Índia e depois, para o Nepal. Durante 14 anos serviu Kyabje Dilgo Khyentse Rinpoche no Sechen Gonpa, onde também atuou como mestre-vajra e professor por sete anos. O descobridor de tesouros Padgyal Lingpa o encarregou formalmente da custódia de seus tesouros revelados e concedeu-lhe iniciações e ensinamentos deste ciclo. Muitos alunos do Chagdud Gonpa nos Estados Unidos receberam de Tulku Sang Ngag Rinpoche os ciclos de iniciações de Padgyal Lingpa, que são a base para a prática de Vajrasatva Vermelho que realizam. Dentre suas diversas atividades, estabeleceu centros nos Estados Unidos e tem sob sua direção um monastério de monjas em Parping, no Nepal. Em 2001, veio ao Brasil para consagrar as oito estupas do Khadro Ling.